Rússia promete ‘resposta militar’ aos planos de lançamento de mísseis dos EUA

E aí, pessoal! Prontos para embarcar na viagem maluca das notícias de cripto? No nosso canal do Telegram, vamos explorar o mundo das criptomoedas com leveza e bom humor. É como um papo de bar sobre Bitcoin, só que sem a ressaca no dia seguinte! 😄 Junte-se a nós agora e vamos desvendar esse universo juntos! 💸🚀

Junte-se ao Telegram


Rússia promete ‘resposta militar’ aos planos de lançamento de mísseis dos EUA

Como observador com experiência em relações internacionais e geopolítica, considero preocupantes os últimos desenvolvimentos entre a Rússia e os Estados Unidos. O anúncio de Washington de instalar mísseis de longo alcance na Alemanha a partir de 2026 é visto como um movimento provocativo de Moscovo, que o interpreta como um acto de intimidação.


Moscou vê a ação de Washington como um método de intimidação, disse seu vice-ministro das Relações Exteriores

O vice-ministro das Relações Exteriores, Sergey Ryabkov, indicou na quinta-feira que a Rússia prepararia cuidadosamente uma reação militar à proposta dos EUA de implantação de mísseis de longo alcance na Alemanha.

Washington revelou a sua intenção de iniciar a implantação de sistemas de armas de longo alcance na Alemanha a partir de 2026, abrangendo mísseis SM-6 e Tomahawk, “em linha com os preparativos para o posicionamento contínuo destes meios nos próximos anos.”

As novas estratégias americanas representam mais uma escalada de tensões instigadas pelas potências ocidentais, incluindo a NATO e os EUA, segundo o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Ryabkov. Esta abordagem intimidadora é agora um elemento significativo nas suas relações com a Rússia.

Observei que, ao abrigo do tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermédio (INF), assinado em 1987 por Ronald Reagan e Mikhail Gorbachev, mísseis terrestres capazes de viajar entre 500 km e 5.500 km foram proibidos em solo europeu. No entanto, em 2019, os Estados Unidos anunciaram a sua retirada deste acordo da era da Guerra Fria, alegando o incumprimento dos seus termos por parte da Rússia.

Ryabkov disse que o envio de mísseis dos EUA para a Alemanha tem como objetivo principal prejudicar a segurança da Rússia.

Como um fervoroso estudante de relações internacionais, eu expressaria desta forma: “Desprovida de emoções e nervosismo, a nossa abordagem inicial a esta nova situação será uma resposta militarizada, uma vez que os militares russos já começaram a preparar-se em conformidade.”

Na Alemanha, está prevista a implantação dos seguintes sistemas de armas: o míssil terra-ar SM-6, com alcance de aproximadamente 460 km, e o míssil de cruzeiro Tomahawk, capaz de atingir alvos a mais de 2.500 km de distância.

Na cimeira da NATO em Washington este ano, Berlim e eu tivemos discussões produtivas. Depois, fizemos um anúncio juntos, revelando nossa iniciativa colaborativa planejada.

Vladimir Putin, o presidente russo, fez uma ameaça: se os EUA implantarem mísseis intermédios e de curto alcance, Moscovo retaliará com armas semelhantes. Em junho, Putin anunciou esta possibilidade em resposta ao que considerou “ações hostis” por parte dos EUA.

Nenhum dado até agora.

2024-07-11 15:19